Notícias

Enfrentando a crise na saude - SPDATA

Saiba como alguns hospitais estão enfrentando a crise na saúde

Saiba como alguns hospitais estão enfrentando a crise na saúde

Não é novidade para ninguém as dificuldades econômicas e financeiras vividas pelos brasileiros na última década. Tais dificuldades refletiram de forma direta e nítida em todos os setores e de maneira importante nas instituições de saúde. Sejam elas públicas ou privadas a situação é caótica.

Só no ano passado, mais de 200 hospitais filantrópicos fecharam as portas e, na área privada, hospitais particulares tem reduzido a cobertura de seus serviços, apesar de necessários, a fim de eliminar despesas.

A crise na saúde mais uma vez tem tomado o primeiro lugar nos noticiários de todo o país. Seja pelo fato de funcionários públicos da saúde de diversos estados e municípios terem seus salários atrasados ou parcelados sob a justificativa das dificuldades financeiras dos governos ou pelo fato dos milhares de pessoas terem perdido seus planos de saúde privados devido ao desemprego, situação que tem gerado um aumento na demanda sobre a prestação de serviços do SUS e, consequentemente, um caos, visto que falta planejamento e gestão eficiente.

Planejar é a solução para superar a crise financeira na área da saúde

Planejamento se trata de um processo, que é contínuo e ativo, reúne ações integradas e orientadas para fazer com que um objetivo seja alcançado com mais rapidez e eficiência por meio de decisões que são tomadas antecipadamente. Esse processo permite, ainda, que erros sejam evitados e que, quando cometidos, sejam identificados, corrigidos e não voltem a acontecer pelos mesmos motivos.

Optar pelo planejamento, nesse contexto, é fundamental para garantir a qualidade nas prestações dos serviços de saúde evitando contratempos, desperdícios de investimentos e energia. Construir essa cultura de planejamento é mais do que um avanço, é um desafio.

Deste modo, alguns passos são importantes, tais como a definição prévia dos objetivos das organizações de saúde, definições de metas nos setores, desenvolvimento de um plano de ação e, principalmente a implantação desse planejamento.

Uma aliada importante para a construção deste planejamento é a tecnologia que, através de softwares de gestão, nos fornece dados precisos para a tomada de decisões.

Com a tecnologia a gestão é facilitada e precisa.

O uso de soluções de Tecnologia da Informação, na gestão da saúde pública e privada, tem sido o grande diferencial no desenvolvimento de muitas organizações de saúde. Um exemplo disso é o trabalho que está sendo realizado na unidade da Santa Casa de Barbacena que passou por um projeto de planejamento estratégico e, atualmente, está na fase da implantação das estratégias definidas.

As mudanças são claramente percebidas. O que antes era definido através do improviso, hoje é pautado através de um software de gestão de saúde, que gera indicadores e informações importantes para a tomada de decisão. A Santa Casa de Barbacena já tem melhorado seus resultados financeiros, otimizado o tempo de atendimento e identificado os principais pontos de melhoria.

A informação gerada por este sistema de gestão, possibilita a tomada de decisão pois os números são precisos e transmitidos em tempo real para todos os setores, facilitando a integração entre todas as áreas das empresas de saúde, agilizando seus processos e aumentando a eficiência, reduzindo as tarefas mecânicas feitas pelos profissionais do setor financeiro e contábil, liberando mão de obra para reforçar o planejamento e o processo de auditoria das contas da instituição.

Permite ainda conhecer os custos, o grau de eficácia de seus processos internos, o andamento do fluxo de trabalho e também o desempenho de cada equipe, setor ou até mesmo dos profissionais. Isso sem contar que fornece subsídios para prever a necessidade de novos investimentos, calcular a rotatividade no atendimento e antever os níveis ideais de estoque de medicamentos e insumos, assim como na área de hotelaria dos grandes hospitais.

A integração das informações que trafegam em todos os setores do hospital com o uso dos softwares de gestão de saúde evita mal-entendidos, além de erros de registros contábeis e divergências no faturamento. Também é evidente que garante a gestão dos dados clínicos e assistenciais permitindo que a instituição alcance a excelência nos cuidados de saúde dispensados ao paciente.

Exemplos disso se dá com a implementação do prontuário eletrônico que, baseado nas evidências (dados armazenados), propõe o tratamento mais eficaz para o diagnóstico, reduz consideravelmente a repetição de exames de imagem e de análises clínicas, integra todas as áreas de apoio à área assistencial e garante um atendimento mais ágil e seguro ao paciente.

O objetivo de todas essas implementações é, basicamente, valorizar a construção e o compartilhamento do conhecimento, a melhoria na qualidade dos cuidados clínicos e assistenciais, dos processos e controles, a erradicação do retrabalho, o aumento da produtividade dos profissionais e, é claro, a redução dos custos associados à prestação de serviços sem perda na qualidade.

Deixe um comentário